Vinho & Queijo: Como combinar?

A cada tipo de queijos há um vinho que adequa de forma a potencializar o sabor e garantir uma degustação única. Este é, talvez, um dos “pequenos prazeres” da vida mais transversal e popular de sempre

 

Nesta harmonização entre vinhos e queijos, uma dica básica, e que faz toda a diferença, é ter sempre em mente que o sabor do queijo não se deve sobrepor ao aroma do vinho, e vice versa.

Por isso, não deverá servir um vinho tinto encorpado com um queijo de intensidade leve ou servir um vinho branco de intensidade suave para acompanhar um queijo com sabor picante e marcante

No imaginário gastronómico, queijo e vinho são indissociáveis. Existe mesmo uma relação histórica entre a pastorícia, o queijo, o vinho tinto e o pão, embora radique num preconceito a associação preferencial do queijo ao vinho tinto. Melhor será juntarmos um queijo untuoso e picante, com uma certa cura, a um branco velho.

O auge da paixão da degustação acontece quando o imaginário gastronómico se encontra com o prazer efectivo na prova. Existem imagens de iguarias que ainda não provamos e que temos a certeza que devem ser um sonho, que adoraríamos experimentar, que figuram no nosso imaginário gastronómico. Não é possível dizer qual tem mais força – o imaginário gastronómico, que não é apenas a antecipação do sabor, é também a expectativa do ambiente, da companhia, da música, da história, ou o prazer efectivo na prova.

Assunto mediterraneo por excelencia, o queijo enquanto alimento proteico tem acompanhado o homem desde os primordios. Hoje o mundo inteiro consome queijos de perfis diversos e o velho continente habituou-se a come-lo com vinho. Nós somos campeoes mundiais e recordistas do queijo de ovelha , o que se reflete nos vizinhos que escolhemos.

Os queijos frescos e macios, com alto teor de humidade, aroma suave e, muitas vezes cítrico, combinam com vinhos brancos leves, secos, frutados e refrescantes, com acidez elevada, para equilibrar com a acidez dos queijos,ou vinhos espumantes.

Já os queijos semiduros tem como caracteristica uma ligeira doçura que faz com que resultem, lindamente, com vinho branco aromático ou com um vinho tinto leve e frutado.

Por sua vês os queijos duros têm um aroma intenso, o que faz com que o vinho tinto encorpado seja a harmonização perfeita, especialmente quando servidos no final da refeição para conseguir acompanhar a intensidade e aroma marcante destes queijos. Também podem ser acompanhados por um vinho espumante seco ou champanhe quando servidos como aperitivo ou fora da refeição.

Os icónicos queijos azuis, são queijos salgados por excelência, podem ser acompanhados por alguns vinhos tintos encorpados, mas a combinação perfeita é com vinhos doces dado o contraste doce versus salgado. O Vinho do Porto é uma excelente opção por reforçar o aroma salgado dos queijos azuis.

Share

Comments are closed.